Saber como polir pedras é dos mais importantes trabalhos de manutenção e, certamente, um dos mais comuns. O polimento de pedras naturais como o mármore, o granito ou o mosaico é essencial para a longevidade das mesmas. Ainda mais, quando falamos de materiais que são alvos de um uso diário constante, acabando por afectar o seu brilho.

E se por um lado, há manchas que se limpam facilmente, o mesmo não se passa com outros outros danos causados e que têm de ser reparados. Nesse sentido, o trabalho de reparo passa pelo polimento das pedras e respectivas superfícies. E mais: é graças ao polimento que é possível eliminar os vestígios dos danos sofridos e restaurar o brilho do pavimento. 

Cristalização das pedras > Nenhum trabalho de polimento estaria completo sem a cristalização. Esta fase é essencial para recuperar o brilho natural das pedras, criando ao mesmo tempo uma proteção superficial de maior dureza contra os ataques físicos.

Material para polir pedra:

Para polir pedra em condições, é necessária uma máquina rotativa. Graças aos seus 2CV de potência e às suas três velocidades de trabalho, a RUBILIM é hoje uma das melhores rotativas do mercado.

rubilim para polir pedras

Para um melhor desempenho do RUBILIM no polimento e na cristalização, siga estas dicas:

  1. Aumente o peso do equipamento graças aos pesos de chumbo (ref. 61969). Cada conjunto de 2 unidades contribui com um total de 13 kg de peso extra. 
  2. Limpe o suporte adequadamente ou os fios de aço acabarão por enferrujar. 
  3. É recomendável usar dois porta-esfregões

Note ainda que quando falamos em como polir pedras, estamos a falar específicamente de pisos de: 

  • Marmore
  • Granito 
  • Cantaria
  • Moleanos
  • Mosaico

Como polir passo a passo

O primeiro passo será usar pastilhas diamantadas para desbastar, ou seja, polir e que irão remover a superfície do material. 

Já as pastilhas 220 e 400 aplicam um desbaste mais leve, que combina com o desbaste inicial e vai preparando o pavimento para o acabamento. Por fim, as pastilhas 800 são responsáveis pelo acabamento final de polimento. 

Nesta fase, o pavimento já apresenta um toque fino e macio, mas ainda sem brilho. Para conseguir esse efeito e pôr as pedras a brilhar, deve trabalhar com quatro unidades de cada grão e usar água para lubrificar o piso. Deste modo, evitará o excesso de pí e os danos causados no pavimento serão menores.

Não se esqueça que sempre que trocar de pastilhas, o piso tem de ser limpo. Deste modo, deverá remover a “pasta” gerada durante o polimento, assim como os restos da pastilha usada. Certifique-se que antes de recomeçar a polir ou a cristalizar, o piso está completamente seco. Caso contrário, a água acabará por neutralizar a ação do líquido cristalizante. 

Processo de cristalização das pedras

Para cristalizar, vamos precisar do mesmo acessório em que fixamos as plaquetas, para colocar a lã de aço. Podemos escolher um de diferentes durezas, sendo que:

  • Número 1 é mais macio e é adequado para pisos de mármore ou granito. 
  • Número 2 é o mais duro e pode ser usado em pisos de tijoleira. 

O líquido cristalizador deve ser aplicado puro e em pequenas quantidades – uma ou duas cápsulas por m2. É essa acção mecânica que permitirá ao cristalizador penetrar na porosidade do material. Desta forma, inicia-se o processo químico que permite a reorientação das partículas superficiais do material, contribuindo para o tão desejado brilho. 

No final do processo de cristalização, deve-se retirar a palha de aço e limpar do piso os vestígios de aparas de metal e outras sujidades usando uma esfregona, um pano seco ou aspirador de pó

Nunca, e isso é muito importante, NUNCA devemos molhar a superfície recém-cristalizada.

Uma vez que a reação química originada com a cristalização pode durar entre seis e oito horas, dependendo do material. Durante este tempo, não permita que ninguém passe. Aliás, só depois é que poderá lavar o chão normalmente.

Tem mais alguma dica a acrescentar? Adoraríamos saber mais sobre a sua experiência!

Post a comment