Hoje vamos falar de instalação de revestimentos cerâmicos, aliás dos erros mais comuns de instalação. Afinal, também colocar pavimento cerâmico tem os seus truques – e técnicas.

1. Instalação de ladrilhos cerâmicos sem junta de assentamento

Para começar, um dos erros mais comuns é a instalação de ladrilhos cerâmicos sem junta de assentamento. Assim sendo, a junta deve sempre existir, devendo ter pelo menos 1 mm. Na nossa opinião, se for de 1,5 mm, ainda melhor! 

A junta de assentamento é mais do que um capricho estético e, tecnicamente falando, são muitas as suas funções:

  • Minimizar as diferentes dimensões entre os ladrilhos
  • Absorver tensões à superfície
  • Permitir a transpiração da condensação, de modo a ajudar a fixação da argamassa adesiva

Além disso, se no futuro for necessário substituir ladrilhos partidos ou rachados, será mais fácil – e muito mais barato! Já para não falarmos da qualidade do acabamento final, que é também muito superior!

2. Seleção do adesivo

Quanto ao segundo erro na instalação de revestimentos cerâmicos mais comum, este tem a ver com a seleção do adesivo ou do tipo de aderência mais adequado para cada material.

Por um lado, a argamassa tradicional não cola tudo; por outro, nem sempre podemos usar a cola da argamassa. Nesse sentido, se o suporte e o material cerâmico apresentarem uma porosidade alta, precisamos de uma aderência mecânica (argamassa tradicional). Se, pelo contrário, a porosidade desses elementos ou de apenas um deles for média-baixa, devemos incorporar o componente químico na adesão, optando antes por cola de argamassa.

3. Colocar os ladrilhos em pontos

Constantemente encontramos profissionais que com a desculpa do “sempre fiz assim” ou “assim é mais rápido” continuam a insistir em usar esta técnica.

O resultado? Humidade e bolhas de ar e, consequentemente, azulejos que se partem com facilidade.

Como pode ver, uma instalação correta de ladrilho cerâmico, não tem grandes segredos. Por isso, se instalar peças cerâmicas de porosidade média-alta com argamassa tradicional, opte por uma camada espessa, de modo a cobrir toda a superfície da peça. 

4. Não optar por colagem dupla nas peças de grande formato

Quanto a este erro, ele está intimamente ligado com o anterior da lista. Ou seja, falamos da insistência em usar o método de colagem simples na instalação, mesmo quando se trabalha ladrilhos de cerâmica de grande formato.

As peças de grande formato devem ser instaladas usando o método de colagem dupla – independentemente de serem pisos ou azulejos, internos ou externos. Ou seja, a regra é simples: se o ladrilho tem um formato superior de 30×30 cm, então, requer colagem dupla.

5. O uso de faixas estreitas

Para terminar, vamos falar da instalação “forçada” de faixas estreitas. Infelizmente, tal é a consequência mais clara da falta – e falha – de cálculos.

Excluindo os casos em que escolhemos uma instalação sem fundo, as faixas estreitas ​​são fáceis de evitar. Para isso, só é necessário avaliar, durante os cálculos, a instalação centralizada e fazer as contas. A maneira mais simples é adicionar a largura da faixa estreita ao comprimento do ladrilho, dividindo-a por dois. O resultado dará o tamanho da primeira e da última peça, sendo o resultado o de duas peças com larguras maiores do que a metade de uma peça inteira.

Se tiver mais erros e dicas que queira partilhar com a equipa e com a comunidade da RUBI, partilhe-as nas nossas redes sociais! Afinal, estamos aqui para aprender uns com os outros!

Post a comment